Please reload

Balanço Social mostra que empresa retorna R$ 12 para cada real investido

28/04/2020

 

O presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Celso Moretti, apresentou na manhã desta segunda-feira (27), na sede da Embrapa, em Brasília-DF, em entrevista à imprensa, o Balanço Social da Embrapa de 2019. Ele anunciou, como síntese, que “para cada R$ 1,00 investido na empresa em 2019 devolvemos R$ 12, 29 para a sociedade, ou seja, 12 vezes mais do que o que recebemos”. O dado é obtido na relação entre o Lucro Social e a Receita Operacional Líquida da Embrapa durante o ano.

“Nosso lucro social em 2019 foi de R$ 46,49 bilhões, graças aos impactos econômicos gerados por 160 tecnologias e 220 cultivares analisadas, além dos demais ganhos sociais, a partir de um orçamento de R$ 3,7 bilhões”, completou. O anúncio é feito como parte das comemorações dos 47 anos da Embrapa, transcorrido no domingo, dia 26. Sobre o Balanço Social, Moretti fez questão de destacar que se trata de um documento público, aberto à sociedade e já disponível no site da Empresa.

O presidente explicou ainda que “neste momento, em que prestamos contas à sociedade brasileira, destacamos o esforço que tem sido empreendido pela pesquisa, ao devolver o investimento feito ao longo dos anos”.  Ao fundamentar o rigor técnico da metodologia usada por diversas instituições de pesquisa do Brasil e exterior, Moretti chamou a atenção para a importância dos dados que avaliam os benefícios gerados em benefício da sociedade e que justificam a importância dos recursos destinados à ciência no agro.

Metodologia premiada


A metodologia utilizada para estimar o Balanço Social da Embrapa é reconhecida no Brasil e no exterior e foi premiada pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap), no ano passado, concorrendo com mais de 500 outros trabalhos.

Além das tecnologias e lançamentos de cultivares, o documento também resume mais de mil ações de interesse social, entre capacitações para produtores e cooperativas, e cerca de 24 milhões de downloads realizados a partir da página da Empresa, como se  1 a cada grupo de 9 brasileiros tivesse acessado e feito download de páginas informativas da Embrapa. (veja dados a baixo)

Lançamentos
Sobre os principais lançamentos que a Embrapa destaca nas comemorações de 47 anos de pesquisa agropecuária, o presidente chamou a atenção para sequenciamento do genoma do tambaqui, que possibilita a produção de alevinos de qualidade; o Geoweb Matopiba, que oferece mapas e dados sobre a região que engloba os estados do Maranhão, Tocantins, Piaiui e Bahia; a BRS Morena, primeira cultivar de gergelim com proteção concedida no Brasil; a nova cultivar de amendoim forrageiro, recomendada para o consórcio com gramíneas para intensificar a produção pecuária a pasto; a plataforma de diagnóstico fitossanitário para cultivos de morango, maçã e pêssego; e a cultivar BRS 5804 que alia precocidade e produtividade na região sul do país.

Moretti falou sobre a cultivar de açaí BRS Pai d’Égua; o inoculante BiomaPhos, para identificação de bactérias capazes de tornar solúvel o fósforo do solo para cultivos de milho, soja e algodão, entre outros; e a uva sem sementes BRS Vitória, adotada com sucesso na região do Vale do São Francisco, no Nordeste brasileiro.

“Quero destacar ainda a robustez da carteira de projetos da Embrapa, que tem mais de 950 projetos em 34 temas de grande relevância para o agro em áreas como agricultura digital (tecnologias que preveem o uso de drones, sensores e internet das coisas); de economia de base biológica; a intensificação sustentável (sistemas integrados lavoura-pecuária-floresta) e edição genômica (soja resistente à seca e feijão)”, completou.

Novos diretores


O presidente falou ainda sobre a confirmação dos dois novos nomes na diretoria executiva da Empresa, Adriana Regina Martin, como diretora de Inovação e Tecnologia da Embrapa (DE-IT) e Tiago Toledo Ferreira, como diretor de Gestão Institucional (DE-GI), ambos aprovados pelo Conselho de Administração da Embrapa, na reunião da última sexta-feira, dia 24 de abril. “São duas pessoas de extrema competência, cujo processo de indicação acompanhei pessoalmente, sem qualquer interferência política”, explicou.

Sobre as estratégias adotadas pela Embrapa no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, Moretti explicou a agilidade nas providências adotadas. “Agimos rapidamente para por em prática um plano de trabalho que garantisse, acima de tudo, a proteção dos empregados”, afirmou, lembrando que hoje 75% do quadro atuam em regime de teletrabalho ou revezamento.

Segundo ele, no que diz respeito à participação da Empresa nas ações de apoio aos Ministérios da Saúde e da Agricultura na realização de testes de Covid 19, 59 laboratórios de Unidades Descentralizadas já estão disponíveis para serem utilizados, dois deles localizados na Embrapa Suínos e Aves e Embrapa Gado de Corte, que já estão atuando na testagem, atendendo às demandas do Governo Federal.

Please reload

Agroatividade 2016 - Agronegócio Ativo