Please reload

Boi: Médias nominais da arroba e da carne seguem em patamares recordes

17/10/2019

 

A baixa oferta de animais prontos para o abate segue sustentando os valores da arroba do boi gordo e, consequentemente, da carne no atacado. Além disso, segundo pesquisadores do Cepea, a demanda internacional pela carne bovina brasileira continua bastante aquecida, principalmente por parte da China.

Assim, a média do Indicador do boi gordo Esalq/B3 na parcial de outubro (até o dia 16), de R$ 160,94, é a maior da série do Cepea, em termos nominais. Já em termos reais, trata-se do patamar mais elevado desde fevereiro de 2018.

Nessa quarta-feira (16), o Indicador fechou a R$ 161,40, ligeira queda de 0,5% no acumulado parcial do mês. Para a carne negociada no atacado, a elevação acumulada na parcial deste mês é de 4,8%, com a carcaça casada do boi negociada, à vista, a R$ 11,39/kg nessa quarta. A média mensal da carcaça casada em outubro, de R$ 11,02/kg, é a maior, em termos nominais, da série do Cepea. Já em termos reais, é a mais elevada desde janeiro de 2018.

 

Carne Suína

 

As compras de novos lotes de suínos por parte de grandes agroindústrias e também de frigoríficos menores seguem aquecidas, especialmente devido ao forte ritmo das exportações da carne. Diante disso, os preços do animal continuam em alta, movimento que vem sendo verificado há seis semanas em algumas praças acompanhadas pelo Cepea.

Na região SP-5 (Bragança Paulista, Campinas, Piracicaba, São Paulo e Sorocaba), o suíno vivo registra média de R$ 5,05/kg na parcial de outubro (até o dia 16), aumento de 9,5% na comparação com a de setembro.

No mercado de carnes, as cotações seguem a tendência de alta verificada para o vivo. No atacado da Grande São Paulo, a carcaça especial teve média de R$ 7,44/kg na parcial de outubro, avanço de 7,6% frente ao mês anterior.

Please reload

Agroatividade 2016 - Agronegócio Ativo