Please reload

Boi: Exportações seguem intensas e China se torna maior destino da carne

11/10/2019

 

As exportações de carne bovina in natura começaram outubro em ritmo forte, somando, em apenas quatro dias úteis, 31,14 mil toneladas, de acordo com dados da Secex. A média diária de embarques está em 8,03 mil toneladas, contra 5,89 mil toneladas em setembro e 6,17 mil toneladas em outubro do ano passado. Caso esse ritmo se mantenha até o final deste mês, as vendas externas podem somar 160 mil toneladas, um recorde.

A China, importante parceira comercial do Brasil, passou a ser o principal destino da carne brasileira bovina nos últimos dois meses, ultrapassando a até então líder, Hong Kong. E esse contexto deve se intensificar nos próximos meses, tendo em vista que a produção chinesa de carne suína tem sido prejudicada pela Peste Suína Africana (PSA), que tem reduzido drasticamente a oferta doméstica da proteína e elevado, por sua vez, a demanda internacional tanto pela carne suína quanto pela bovina e de frango. Vale lembrar, também, que o país asiático habilitou 17 novas plantas frigoríficas brasileiras para exportar carne à China.

 

Suínos: Mercado doméstico 

 

As cotações do suíno vivo estão em alta neste início de outubro, segundo dados do Cepea. A demanda aquecida de frigoríficos por animais para abate e a dificuldade de encontrar novos lotes em peso ideal justificam esse cenário.Quanto aos preços da carne, por outro lado, colaboradores do Cepea relatam dificuldades em repassar os reajustes nos valores do animal vivo à proteína.

 

Em relação aos embarques de carne suína in natura, a Secex aponta que houve aumento de 13% entre agosto e setembro, totalizando 49,8 mil toneladas no mês passado – desse volume, 46% tiveram a China como destino.

Please reload