Please reload

Suínos: Exportação aquecida garante bom suporte interno de preços

14/06/2019

 

O mercado brasileiro de suínos apresentou bons negócios ao longo da semana. De acordo com o analista de Safras & Mercado, Allan Maia, no cenário doméstico a reposição entre atacado e varejo apresentou boa fluidez e, na exportação, a demanda permaneceu bastante aquecida. “Com um quadro de disponibilidade interna bem ajustado, o preço voltou a subir em todo o Centro-Sul do Brasil.

 

Levantamento da consultoria apontou que a média de preços do quilo do suíno vivo na região Centro-Sul do Brasil ficou em R$ 4,44 nesta quinta-feira (13), subindo 4,21% frente aos R$ 4,26 praticados na semana passada. A média de preços pagos pelos cortes de pernil no atacado ficou em R$ 7,68, alta de 0,47% frente aos R$ 7,64 praticados no fechamento da semana anterior. A carcaça registrou um valor médio de R$ 7,28, avançando 3,65% frente ao preço praticado na semana anterior, de R$ 7,03.

 

Para Maia, o foco de atenção do mercado segue na China, que sofre com desequilíbrio de oferta interna devido à peste suína africana, levando o país atuar com maior intensidade nas importações de carne suína. No Brasil a expectativa é de que a demanda interna possa recuar um pouco nas próximas semanas, por conta do ingresso na segunda metade do mês, período em que tradicionalmente o consumo declina por conta do menor poder de compra da população.

 

As exportações de carne suína “in natura” do Brasil renderam US$ 30,6 milhões em junho (5 dias úteis), com média diária de US$ 6,1 milhões. A quantidade total exportada pelo país no período chegou a 13,4 mil toneladas, com média diária de 2,7 mil toneladas. O preço médio ficou em US$ 2.286,00. Em relação a maio, houve alta de 1,3% na receita média diária, ganho de 0,2% no volume diário e avanço de 1,1% no preço. Na comparação com junho de 2018, houve aumento de 118,7% no valor médio diário exportado, incremento de 86,2% na quantidade média diária e ganho de 17,4% no preço. Os dados são do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços e foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

 

A análise de preços de Safras, apontou que a arroba suína em São Paulo foi cotada a R$ 100,00, avanço frente aos R$ 94,00 registrados na semana anterior. Na integração do Rio Grande do Sul o quilo vivo passou de R$ 3,50 para R$ 3,60. No interior a cotação no estado subiu de R$ 4,50 para R$ 4,70. Em Santa Catarina o preço do quilo na integração avançou de R$ 3,50 para R$ 3,60. No interior catarinense, a cotação passou de R$ 4,60 para R$ 4,80. No Paraná o quilo vivo avançou de R$ 4,50 para R$ 4,65 no mercado livre, enquanto na integração o quilo vivo aumentou de R$ 3,55 para R$ 3,58.

 

No Mato Grosso do Sul a cotação na integração subiu de R$ 3,50 para R$ 3,60, enquanto em Campo Grande o preço passou de R$ 3,75 para R$ 3,85. Em Goiânia, o preço aumentou de R$ 4,90 para R$ 5,20. No interior de Minas Gerais o quilo do suíno avançou de R$ 5,00 para R$ 5,30. No mercado independente mineiro, o preço permaneceu em R$ 5,00. Em Mato Grosso, o preço do quilo vivo em Rondonópolis subiu de R$ 4,00 para R$ 4,10. Já na integração do estado a cotação aumentou de R$ 3,45 para R$ 3,50.

Please reload

Agroatividade 2016 - Agronegócio Ativo