Please reload

Sojicultores continuam aguardando melhora nos indicadores para reatarem vendas

04/04/2019

 

 

O aumento de frete com o forte da colheita que se aproxima e baixas recentes do câmbio acabaram fazendo com que os preços da soja tivessem fortes quedas, diminuindo as vendas dos produtores. De acordo com o especialista Luiz Fernando Pacheco, analista da T&F Consultoria Agroeconômica, o câmbio subiu acima de R$ 4,0 na semana passada. 

 

“Nesta quarta-feira os preços da soja voltaram a recuar 0,48% nos portos, para a média de R$ 77,25/saca nos portos do sul ou seus equivalentes em outros estados e 0,47% no interior, para R$ 72,27/saca nos estados do Sul. Com isto, as perdas do mês aumentaram para 0,59% nos portos e 0,33% no interior. Como frisamos, o anúncio da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) de que poderá haver uma redução de 3,0 MT nas exportações brasileiras nesta temporada é muito negativo, porque aumentará os estoques finais e diminuirá a disputa por matéria prima”, comenta o especialista. 

 

Nesse cenário, a Associação reduziu suas projeções para exportação de soja do Brasil em 2019. “As vendas externas da oleaginosa devem somar 67 milhões de toneladas. Em fevereiro, a expectativa era de embarque de 70 milhões de toneladas”, indicou Pacheco em seu boletim informativo diário. 

 

“As exportações do Brasil em março de soja somaram 9,6 milhões de toneladas, segundo a associação, o que representa queda de 12% ante igual mês do ano passado. Os dados diferem da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) porque a Anec considera uma base diferente. Enquanto a Secex leva em conta para o cálculo os registros de exportação e documentos apresentados no embarque, a Anec considera números de agências marítimas referentes ao volume efetivamente embarcado nos navios. Segundo o órgão o País exportou 8,955 milhões de toneladas de soja em março (+1,6%)”, conclui. 

Please reload

Agroatividade 2016 - Agronegócio Ativo