Please reload

Preços do boi gordo encerram outubro em declínio no indicador

01/11/2018

 

Mesmo com as exportações de carne bovina em ritmo intenso – e, consequentemente, ajudando a limitar a oferta doméstica –, os preços do boi gordo encerram outubro em queda, após terem subido por três meses consecutivos.

De acordo com pesquisas do Cepea, a pressão vem da maior oferta de animais de confinamento e também da menor demanda por parte de frigoríficos, que vêm recebendo lotes de boi já contratados anteriormente. Somando a isso, a demanda interna por carne bovina ainda segue arrefecida, o que está atrelado à lenta recuperação da economia brasileira.

No acumulado de outubro (até o dia 31), o Indicador Esalq/BM&FBovespa do boi gordo (estado de São Paulo, à vista) registra queda de 4,38%, fechando a R$ 145,15 nessa quarta-feira (31).

 

Carne Suína

 

De acordo com pesquisas do Cepea, em outubro, os preços das três proteínas mais consumidas no Brasil – suína, frango e bovina – subiram no mercado atacadista da Grande São Paulo. As valorizações verificadas para as carnes suína e de frango, no entanto, têm sido bem mais intensas que as registradas à bovina.

Diante disso, a carne suína perdeu competitividade frente à bovina e manteve praticamente estável a diferença com a de frango. Quanto aos preços do animal vivo em outubro, com a menor oferta de animais para abate e a demanda ainda sem se aquecer, as cotações do animal atravessaram a segunda metade do mês sem grandes alterações. 

 

Please reload

Agroatividade 2016 - Agronegócio Ativo