Please reload

SP: Evento em Ribeirão Preto busca discutir formas de financiamento às pesquisas com cana-de-açúcar

14/03/2018

 

O melhoramento genético e a biotecnologia na cana-de-açúcar serão tema de painel coordenado pelo pesquisador e líder do Programa Cana do Instituto Agronômico (IAC-APTA), Marcos Guimarães de Andrade Landell, durante o Simpósio de Integração da Pesquisa Pública em Cana-de-açúcar no Brasil, que acontece nesta quinta (15), no Centro de Cana IAC, em Ribeirão Preto (SP).

 

O objetivo do painel é discutir as ações dos três programas de melhoramento genético de cana existentes no Brasil, além de empresas privadas que desenvolvem este trabalho e ações em biotecnologia. O painel reunirá representantes do IAC, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroenergético (Ridesa), Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), Vignis, GranBio, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e PangeiaBiotech.

 

De acordo com Landell, o objetivo do simpósio é colocar luz na discussão sobre o financiamento da pesquisa para o setor sucroenergético. A ideia é buscar soluções para alavancar essas pesquisas no País e pensar em alternativas para a sustentabilidade financeira dos trabalhos.

 

Segundo o líder do Programa Cana IAC, o projeto Pluricana tenta amenizar, de maneira parcial, o déficit de investimentos existente nas instituições oficiais no que se refere à área de melhoramento genético. Estima-se que na atualidade, o investimento, considerando as captações públicas e privadas, giram em torno de US$ 2,50 por hectare no Brasil. 

 

“Atualmente, áreas de pesquisa em pré-melhoramento, por exemplo, quase não recebem recursos comprometendo avanços significativos na cultura. Além disso, o Comitê do Projeto Pluricana constatou uma grande demanda por recursos humanos nessas instituições oficiais, somada à necessidade de melhoria das infraestruturas existentes para o desenvolvimento de pesquisa nessas áreas”, afirma Landell.

 

Durante o painel, Landell apresentará as pesquisas de melhoramento genético de cana realizadas pelo Instituto Agronômico e tecnologias de manejo que podem contribuir para os canavicultores alcançarem produtividades acima de 100 toneladas por hectare. Atualmente, a média de produtividade nos canaviais paulistas é de 80 toneladas por hectare.

 

“É necessário que os produtores incorporem de forma mais rápida as novas variedades disponibilizadas pelos programas de melhoramento genético. Essas novas variedades trazem ganhos superiores a 15% na produtividade. Aliado a isso, temos tecnologias de manejo que podem aumentar em até 30% a produção, como a matriz de cana do IAC, que busca alocar as variedades na propriedade de acordo com o perfil dos materiais e dos ambientes de produção, mitigando, assim, os déficits hídricos”, explica o pesquisador. 

 

O Simpósio de Integração da Pesquisa Pública em Cana-de-açúcar no Brasil, será realizado nesta quinta-feira, 15 de março, a partir das 8h30, no Centro de Cana IAC, em Ribeirão Preto (SP). O evento é promovido pelas 22 instituições que compõem o Programa Plurianual Integrado de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) em Cana-de-Açúcar (Pluricana), entre elas o IAC, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, e busca discutir formas de financiamento para as pesquisas com cana-de-açúcar, uma das principais culturas econômicas do Brasil.

Please reload

Agroatividade 2016 - Agronegócio Ativo