Buscar
  • REUTERS

Soja: Imea vê menor aumento da história para área plantada em MT


A safra de soja de Mato Grosso, maior produtor brasileiro da oleaginosa, deverá ter na temporada 2019/20 o menor aumento anual na área plantada de uma série histórica, mas ainda assim a colheita poderá ter ligeiro crescimento, para um recorde de 32,83 milhões de toneladas, com maiores produtividades estimadas, de acordo com pesquisa do Imea.


Segundo o primeiro levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) para a safra que será plantada a partir de setembro, a expectativa é de um plantio em 9,72 milhões de hectares, alta de 0,59% ante 2018/19, o equivalente a 56,7 mil hectares. “Isso pode ser pautado em uma posição mais cautelosa dos produtores neste momento, visto que o cenário atual da soja mato-grossense está em movimento de recuperação dos preços após forte queda em abril e início de maio, em conjunto com as incertezas da guerra comercial sino-americana”, disse o instituto ligado à federação dos produtores.


Dentre as regiões que devem apresentar incremento de área, destaca-se a região norte com aumento de 6,5%, ou 24,24 mil hectares, “que avançam sobre pastagem degradada”.Juntamente com o nordeste do Estado, a região norte é uma das mais novas para a soja em Mato Grosso, o que levanta preocupações sobre desmatamentos. Em relação à produtividade média, a primeira estimativa do Imea projeta a média de 56,28 sacas por hectare na safra 2019/20, indicando uma evolução de 0,43% em relação ao rendimento da safra 2018/19, apontando assim para ser o segundo melhor da história do Estado.


“Cabe salientar, que, as projeções dos rendimentos a campo neste momento apontam o sentimento inicial do produtor, já que ainda restam ser adquiridos grande parte dos insumos da nova temporada”, ponderou o Imea. “De qualquer forma, a expectativa dos agentes de mercado é de que haja a manutenção do investimento em tecnologia no campo.” Com a área plantada estimada e a produtividade projetada, a produção em 2019/20 cresceria 1% ante a temporada 2018/19, que foi afetada por problemas climáticos. O recorde anterior foi obtido em 2017/18, com 32,6 milhões de toneladas.


MILHO


O Instituto ainda fez ajustes positivos na produtividade do milho da safra 2018/19, que está sendo colhida, elevando a produção total estimada para 30,44 milhões de toneladas, o que representa incremento de 10,38% em relação à temporada 2017/18, encaminhando-se, neste momento, para a segunda maior já registrada em Mato Grosso.


“Com o início da colheita, os reportes de rendimentos, até o momento, têm sido satisfatórios em todas as regiões produtoras...”, disse o Imea, relatando que a produtividade média no Estado avançou de 103,23 sacas/hectare, da estimativa anterior, para 107,03 sacas/ha, passando a apresentar um aumento de 7,5% em relação à safra anterior.


Esse aumento se deu, principalmente, pelos bons registros de chuvas em todo o período de desenvolvimento, em conjunto com o fato de que 95,8% das áreas de milho terem sido cultivadas dentro da janela ideal de semeadura no Estado, possibilitando que grande parte das lavouras se desenvolvessem dentro de um regime de precipitações ideal.Já a produção de algodão em pluma foi mantida em 1,85 milhão de toneladas, um recorde.

0 visualização