• ASSESSORIA

Encontro no Pará discutiu ações da Embrapa no Fundo Amazônia


Belém (PA) sediou a primeira reunião da Embrapa, Fundação Eliseu Alves (FEA) e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para acompanhar a carteira de projetos do Fundo Amazônia na Empresa. Cerca de 40 pessoas participaram dos dois dias de reunião (28 e 29), onde foram discutidos o andamento do Projeto Integrado da Amazônia (PIAmaz), as dificuldades e os riscos encontrados na execução das ações.


“O Fundo Amazônia é uma referência em relação à transparência na gestão técnica e financeira dos seus projetos. Temos que manter esse compromisso com os doadores e com a sociedade”, afirmou André Ferro, gerente de Meio Ambiente e Gestão do Fundo Amazônia (BNDES).


A Embrapa participa do Fundo Amazônia por meio do Projeto Integrado da Amazônia, cujo período de execução iniciou em 2018 com programação até 2020. A iniciativa reúne 19 projetos em todos os estados da Amazônia Legal ordenados a partir de quatro grandes linhas temáticas: Monitoramento do desmatamento e da degradação florestal e serviços ecossistêmicos; Restauração, manejo florestal e extrativismo; Tecnologias sustentáveis para a Amazônia; e Aquicultura e Pesca. Veja a lista dos projetos no quadro ao final da matéria.


São mais de 200 profissionais de 12 Unidades da Empresa no país com a missão de desenvolver e executar ações de pesquisa, transferência de tecnologia, e comunicação para recuperar, conservar e promover o uso sustentável dos recursos naturais do bioma amazônico. “Estamos animados em ver que é um projeto robusto e vai gerar muitos desdobramentos para o Fundo Amazônia pela competência técnica da Embrapa em avançar o conhecimento para o combate ao desmatamento na Amazônia”, destaca André Ferro.