Buscar
  • ASSESSORIA

CNA: Martins defende maior presença do agronegócio no setor de energias renováveis


Ao abrir o seminário “Agro em Questão – Energias Renováveis”, na quarta (8), o presidente da CNA, João Martins, falou sobre o potencial energético do agro e afirmou que o evento faz parte de uma série de ações que visam ampliar a participação do setor no mercado de geração e comercialização de energia. O evento reuniu, na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, em Brasília, representantes do governo, do setor privado e especialistas. No discurso, João Martins afirmou que a evolução da produção agropecuária nos últimos anos deixou evidente que a geração e o fornecimento de energia também precisam evoluir. “Com esse evento, queremos deixar claro que os produtores rurais podem fazer parte dessa evolução e serem mais do que meros consumidores. Podemos ser geradores de energia, com forte participação nesse mercado”. Segundo o presidente da CNA, a geração de energia nas propriedades rurais contribuirá “fortemente” para o desenvolvimento sustentável no campo e para a diversificação da matriz energética por meio das fontes renováveis vinculadas ao agro. Neste contexto, Martins defendeu o engajamento da iniciativa privada e dos agentes do governo para superar juntos os entraves ao desenvolvimento desse mercado “oferecendo condições aos nossos produtores rurais, para que participem, ainda mais, do crescimento do Brasil”. Martins afirmou que o potencial energético do agro é “muito maior do que se imagina”. No entanto, ponderou, a matriz energética no País ainda é fortemente dependente da fonte hídrica, que responde por mais de 60% da eletricidade gerada em território nacional. “Pior do que isso é dependermos dos combustíveis fósseis para gerarmos 14,9% da nossa eletricidade”. Desta forma, disse Martins, com estratégia e organização, o agro pode ampliar mais a participação da biomassa de subprodutos e coprodutos na geração de energia para baixar custos e substituir fontes fósseis por renováveis.

0 visualização