• G1

Meio Ambiente deve revisar lista da aquicultura após desagrado do setor pesqueiro


O Ministério do Meio Ambiente confirmou nesta segunda-feira (22) que avalia a revisão da lista de espécies aquáticas ameaçadas após um pedido do Ministério da Agricultura pelo fim da lista.


Em resposta a reportagem, a pasta declarou que o pedido ainda será analisado e discutido. O jornal "Folha de S.Paulo" noticiou em 20 de abril que o Ministério da Agricultura havia pedido a suspensão da lista afirmando que o cadastro gerou “grande repercussão negativa no setor pesqueiro e prejuízos econômicos".


A Lista Nacional das Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção – Peixes e Invertebrados Aquáticos é organizada pelo Ministério do Meio Ambiente com coordenação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).


Dentre mais de 5 mil espécies analisadas, 475 (9%) foram classificadas como ameaçadas de extinção, sendo 98 peixes marinhos, 311 peixes continentais e 66 invertebrados aquáticos.


Após a publicação da lista em 2014, o Ministério do Meio Ambiente proibiu a captura, o transporte, armazenamento, guarda e manejo de exemplares das espécies listadas. Em 2017, um Grupo de Trabalho foi criado para avaliar ações de conservação e manejo sustentável para as espécies identificadas como tendo importância socioeconômica.