• G1

DF: Criadores emitem alerta sobre ração contaminada que intoxicou 13 cavalos


A Secretaria de Agricultura do Distrito Federal emitiu um alerta para os criadores de cavalos da região por causa da morte – por intoxicação – de, pelo menos, 13 animais. Segundo a pasta, uma ração de aveia vendida no DF e no Entorno está contaminada.


A aveia teria sido misturada a uma semente chamada crotalária, usada nas plantações para adubação verde do solo. As sementes pretas e parecidas com pequenos feijões causaram problemas no fígado dos equinos, que morreram por complicações hepáticas.


Outros 17 cavalos estão em observação. Até o momento, segundo a secretaria, foram registrados casos no Gama, em Taguatinga, no Recanto das Emas, no Núcleo Rural Tabatinga, região de Planaltina e em Formosa (GO).


Amostras da ração foram encaminhadas para análise na Universidade de Brasília (UnB). De acordo com o GDF, os pesquisadores chegaram à conclusão de que "a ingestão das sementes de crotalária acarretou na contaminação dos cavalos".


A Secretaria de Agricultura disse que já identificou e notificou o agricultor responsável pela produção da ração. No entanto, diz a pasta, "ainda há risco de intoxicação de outros animais".

A subsecretária de Defesa Agropecuária, Danielle Araújo, informou que alterações no comportamento dos animais devem ser comunicadas à secretaria.


A Secretaria de Agricultura explica que, embora visíveis a olho nu, as sementes de crotalária podem passar despercebidas pelos criadores. "Os agricultores costumam plantar a crotalária para fixar nitrogênio na terra", disse a subsecretária de Defesa Agropecuária.


A crotalária produz uma substância secundária conhecida como alcaloide pirrolizidínico, que ataca diretamente o fígado, envenenando o sangue e o sistema nervoso. Os animais podem ser salvos dependendo do porte, resistência e até mesmo da quantidade do consumo da aveia contaminada. No DF, a população de equinos é de cerca de de 20,4 mil animais.


A Secretaria de Agricultura informou que alterações no comportamento dos animais ou desconfiança em relação à ração devem se comunicadas para a pasta pelo telefone (61) 3340-3862.