Buscar
  • ASSESSORIA

Governo do Estado e setor produtivo lançam Observatório Gaúcho da Carne


O governo do Estado lançou, nesta quinta-feira (15), um novo website que uniformiza as informações sobre a pecuária de corte no Rio Grande do Sul, melhorando a compreensão dos consumidores sobre a atividade e a procedência da carne oferecida no mercado. Os dados vão desde o nascimento dos animais até a exportação dos produtos gaúchos. A iniciativa é da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi) e do vice-governador José Paulo Cairoli, com o apoio de entidades representativas da pecuária gaúcha. O site é considerado importante por ser o primeiro passo rumo a criação da Agência Gaúcha da Carne. A ferramenta conecta os dados já existentes e reúne todas as informações num só lugar. Com isso, será possível fazer uma radiografia permanente e fiel da atividade, permitindo o desenvolvimento de políticas que melhorem a qualidade da carne gaúcha. O governador José Ivo Sartori lembrou que o projeto foi apresentado durante a Expointer do ano passado e, desde então, um trabalho conjunto fconstruiu um modelo que atendesse as necessidades da pecuária de corte. "Só vamos proteger o setor quando ele estiver unido. Nosso papel, como poder público, é modernizar o Estado e fazer as mudanças estruturais necessárias", enfatizou. Conforme o governador, a modernização do serviço público é um trabalho contínuo desde o primeiro ano de governo. "Adotamos um novo modelo de gestão que possibilitou arrumar a casa, atrair novos investimentos e prestar melhores serviços aos cidadãos. Hoje é inaceitável imaginar o serviço público sem gestão", afirmou. Ele acrescentou que o Rio Grande do Sul está preparado para entrar numa nova fase de desenvolvimento, mas que ainda é preciso promover outras transformações para construir um novo futuro. "A modernização do Estado é um dos legados que mais me orgulha. Porque não é mais algo só do nosso governo. Agora, pertence a todos, ao serviço público e à sociedade", finalizou. Construído a várias mãos

Para criar o Observatório Gaúcho da Carne foram usados modelos como o Meat Market Observatory da Comissão Europeia; o Inac (Instituto Nacional de Carnes do Uruguai); o Atlas da Complexidade Econômica da Harvard University; e o Observatório da Complexidade Econômica do Massachusetts Institute of Technology. Segundo o secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo, o RS passa a contar a partir de agora com uma ferramenta de informações inovadora. "Essa é uma construção a várias mãos e um processo de evolução. Vamos buscar ainda mais a valorização e qualificação da pecuária. Produzimos carne de excelência, mas ainda podemos fazer mais", destacou. Ele acrescentou que na mesma linha do Observatório está sendo feito um estudo sobre o leite, em conjunto com as entidades do setor. A primeira etapa do projeto foi uma pesquisa com cerca de 350 pessoas ligadas ao setor para saber quais informações e cenários gostariam de ver na ferramenta. "Nós não coletamos dados, nós conectamos os dados públicos existentes. Já são mais de 880 milhões de dados dispostos em 11 painéis de informações com 72 páginas”, ressaltou a coordenadora e consultora do projeto, Andréa Veríssimo. O Observatório conta com dados desde janeiro de 2010.

2 visualizações