• Agência Brasil/EFE

Negociações para acordo entre Mercosul e UE avançam em Buenos Aires


Representantes de países que integram o Mercado Comum do Sul (Mercosul) e a União Europeia (UE) lideram em Buenos Aires diversas reuniões de trabalho para avançar nas longas negociações para um acordo de associação entre ambos os blocos, cuja concretização pretendem anunciar ainda neste mês.


Durante a XI Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), que começou ontem e segue até a próxima quarta-feira (13) na capital argentina, o Palácio San Martín, sede da Chancelaria local, acolhe vários encontros destinados a "aproximar posições", informaram fontes oficiais.


No domingo (10) ocorreu um encontro entre os chanceleres da Argentina, Jorge Faurie; do Brasil, Aloysio Nunes; do Paraguai, Eladio Loizaga; e do Uruguai, Rodolfo Nin Novoa; com a comissária de Comércio na Comissão Europeia (CE), Cecilia Malmström. Para hoje e amanhã também estão previstas reuniões das delegações dos dois blocos.


As fontes indicam que a intenção é que haja um anúncio político, "se não for na OMC, será na cúpula do Mercosul", que ocorrerá em Brasília, no dia 21 de dezembro. No entanto, insistiram que, embora a ideia seja assinar um acordo ainda neste mês, "não há nada oficial que possa ser comunicado".


Rodada de negociações


Em 8 de dezembro, a UE e o Mercosul fecharam, em Bruxelas, uma rodada de negociações na qual houve nova troca de ofertas comerciais, e decidiu-se por buscar um acordo na conferência da Organização Mundial do Comércio em Buenos Aires.


"Pode ser assinado em 21 de dezembro em Brasília", disse o presidente Michel Temer perante vários veículos de comunicação após participar da abertura da Conferência Ministerial, considerada uma oportunidade propícia para anunciar oficialmente o fechamento do acordo.


As negociações entre os dois blocos começaram em 1999, mas tanto o Mercosul como a UE concordam em apontar que nos últimos dez meses foram feitos mais progressos do que em toda a década anterior.

Em uma entrevista, Malmström disse que a ambição é concluir o acordo antes do término de 2017, embora não será "um desastre" se a conclusão das negociações atrasar até o início do próximo ano.


Obstáculos


Parte das negociações ainda enfrenta obstáculos por causa da carne bovina e do etanol, e um anúncio de acordo esperado para esta semana pode não acontecer, disseram nesta segunda-feira autoridades envolvidas nas conversas.


Diplomatas do bloco comercial sul-americano presentes às conversas, ocorridas nos bastidores do encontro de ministros da Organização Mundial do Comércio (OMC) em Buenos Aires, afirmaram que as autoridades da UE não apresentaram ofertas melhores para as importações de carne bovina e etanol sul-americanos sem tarifas para o bloco, como prometido.


A resistência de alguns países-membros da UE às importações agrícolas, como a Irlanda e a França, adiou a negociação do acordo de livre comércio com o Mercosul, que almeja liberalizar o comércio, o investimento, os serviços e o acesso a licitações públicas.