• Cepea

Indústria e exportadores movimentam mercado brasileiro de café


Apesar da desvalorização do café arábica no mercado doméstico, o número de negócios aumentou nos últimos dias, quando as cotações externas da variedade estavam firmes e o dólar, mais valorizado frente ao Real. Segundo agentes consultados pelo Cepea, exportadores estiveram mais ativos, negociando maiores volumes de grãos de qualidade inferior, como o bebida rio, e menores quantidades dos de qualidade superior. Quanto aos preços da variedade, a queda acentuada das cotações externas no início desta semana, devido ao clima favorável no Brasil, pressionou os valores domésticos. Para o robusta, a procura de torrefadoras nacionais está aquecida. Entretanto, vendedores continuam retraídos, dificultando a efetivação de negócios.

Açucar segue valorizado


O ritmo de negócios diminuiu no mercado brasileiro de café nos últimos dias, refletindo a retração de alguns compradores por conta da recente valorização do açúcar cristal. No entanto, conforme colaboradores do Cepea, mesmo com o menor número de negócios captados no mercado spot, usinas permaneceram firmes e não baixaram os preços pedidos. Assim, o Indicador Cepea/Esalq, cor Icumsa de 130 até 180 (estado de São Paulo) registrou alta de 1,55% entre 14 e 21 de novembro, fechando a R$ 66,05/saca de 50 kg nessa terça-feira (21).