• ASSESSORIA

Receita do setor de máquinas recua 4,3% em setembro ante agosto


O faturamento líquido da indústria de máquinas e equipamentos do Brasil caiu 4,3% em setembro em relação a agosto e recuou 5,7% ante setembro de 2016, totalizando R$ 5,825 bilhões, conforme dados da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).


No acumulado do ano até o mês passado, o faturamento líquido do setor é de R$ 50,046 bilhões, queda de 4,5% na comparação com igual período de 2016. Em base mensal, a balança comercial do setor registrou déficit de US$ 358,5 milhões, alta de 38,1% em relação a agosto, mas queda de 8,3% ante o saldo do mesmo mês de 2016. No mês passado, as importações somaram US$ 1,171 bilhão, altas de 7% ante agosto e de 16,8% em relação a um ano antes. Já as exportações alcançaram US$ 812,9 milhões, com variação negativa de 2,7% em relação ao mês anterior, mas positiva de 32,8% ante setembro do ano passado.


No acumulado do ano, as importações somam US$ 9,480 bilhões, o que representa uma queda de 21,9% em relação aos nove primeiros meses de 2016. No mesmo período, as exportações totalizam US$ 6,459 bilhões, com alta de 9,4%, na mesma base de comparação. Com isso, o saldo da balança comercial do setor de máquinas está negativo em US$ 3,021 bilhões, o que representa um recuo de 51,5%.


Segundo a Abimaq, uma das razões para o crescimento das exportações no ano até o mês passado é a melhora da atividade no mercado internacional, além da baixa demanda no mercado doméstico. Em relação ao faturamento, a Abimaq destaca que a receita líquida total registrada em setembro foi a pior para o mês em 17 anos e ficou 44% abaixo da média observada no período de 2010 a 2013. Para a instituição, este resultado reforça as estimativas de nova queda nas receitas do setor neste ano.