Buscar
  • ASSESSORIA

Congresso Abraves vai debater adequações de novas práticas na suinocultura


O Congresso da Associação Brasileira de Veterinários Especialistas em Suínos (Abraves), promovido pela regional Goiás, contará com a participação da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos (ABCS) na programação de sua 18a edição. Na próxima quarta-feira a entidade, em parceria com a Associação Goiana de Suinocultores (AGS), apresentará workshop técnico sobre compartimentação na suinocultura e Instrução Normativa 14.


O Congresso é reconhecido pela qualidade técnica dos painéis, ministrados por especialistas do Brasil e do exterior, e historicamente tem contribuído com o desenvolvimento da suinocultura por meio da divulgação de informações técnico-científicas em todas as áreas de conhecimento da suinocultura. Um dos assuntos abordados será a Instrução Normativa 14 de 2016, que trata sobre a produção de rações com medicamentos.


As granjas de produtores independentes, que representam parte significativa das granjas brasileiras - cerca de 40% da produção do país -, uma grande parte das granjas de cooperativas e algumas granjas integradas têm fábrica de ração própria e precisam se adaptar as exigências previstas nesta normativa para continuarem a utilizar medicamentos a granel.


"No caso de o produtor não conseguir se adequar a essas boas práticas ele só poderá utilizar medicamentos já incluídos no premix mineral vitamínico, o que gera graves limitações já que o premix medicado pode não estar disponível quando necessário e possivelmente a entrega de um novo lote não ocorrerá num curto prazo, o que pode agravar o quadro sanitário das granjas", explica Nilo de Sá, diretor executivo da ABCS.


O objetivo da palestra é levar aos produtores um representante do MAPA, responsável por essa área, para esclarecer quais foram os motivos que levaram a entidade a criar esta normativa e as dúvidas sobre as exigências de boas práticas de fabricação para que o produtor possa continuar utilizando o medicamento a granel. "Sabemos que na maioria das vezes não estamos falando de recursos vultuosos para adequação, mas sim sobre definição e implantação de procedimentos operacionais", completa o executivo.


O encontro é também uma oportunidade de apresentar ao Ministério as dificuldades relatadas pelos produtores de diferentes regiões e realidades, o que dará suporte ao desenvolvimento de manuais que auxiliarão os produtores no atendimento às exigências previstas na IN 14. Outro tema a ser abordado é a compartimentação da suinocultura como possibilidade para empresas preservarem ou buscarem novos mercados. A instrução normativa que define as regras para a implantação de compartimentos de suinocultura ainda não foi promulgada, mas o texto já sendo discutido junto com a iniciativa privada, inclusive com a participação da ABCS.


De Sá explica que o compartimento, por se tratar de uma unidade produtiva com condição sanitária diferenciada, pode ser uma alternativa para as empresas buscarem ser reconhecidas como livres de determinadas doenças. Porém, a implantação exige o estabelecimento de uma série de medidas de controle de sanidade, os quais são necessários para manter o compartimento livre caso haja um surto da doença na sua região ou estado.


"É importante que as empresas e as pessoas do setor tenham conhecimento dessa alternativa que pode contribuir para acessar mercados externos ou para preservá-los, caso haja surtos no país", finaliza Nilo. Ao final, será promovido um debate com todos os participantes para que possam sanar as dúvidas e fazer possíveis questionamentos. Além do workshop técnico, no dia 18 de outubro a ABCS levará ao evento uma ação de marketing com foco em saúde, apresentado pelo preparador físico Marcio Atalla.

2 visualizações