• CNA

Acordo comercial entre Mercosul e UE foi tema de encontro entre negociadores dos dois elos


A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) promoveu na quarta (4), na sede da entidade, o encontro de representantes do setor privado do Mercosul com a negociadora-chefe da União Europeia (UE), Sandra Gallina, e negociadores da parte sul-americana.


No encontro foram debatidos pontos do acordo comercial entre os países que integram os dois blocos. "Sem sombra de dúvida é um momento único para a relação comercial entre o Mercosul e a União Europeia. Esperamos que essa rodada possa trazer reais benefícios para os nossos produtores", afirmou o presidente da CNA, João Martins.


Durante os debates, os membros do Mercosul relataram o sentimento de "decepção" em relação à oferta agrícola dos europeus, considerada essencial para a conclusão do acordo. A principal crítica é direcionada às cotas de exportação estabelecidas para o etanol (600 mil toneladas) e para carne bovina (70 mil toneladas).


Os números são inferiores ao acordado há mais de 10 anos, quando as negociações haviam sido interrompidas. "A discussão do etanol e da carne bovina está difícil nesse momento na Europa. Não é um problema com o Mercosul, mas uma questão política interna. Existem outros pontos que já estão sobre a mesa como suco de laranja, milho, frango e carne suína. Creio que isso pode ser interessante, especialmente para o Brasil", afirmou Sandra.


Na opinião da Superintendente de Relações Internacionais da CNA, Lígia Dutra, o encontro permitiu um momento de "abertura" entre o setor privado e os negociadores-chefe presentes. "Foi uma oportunidade de ouro para as entidades do setor privado conseguirem pressionar um pouco a União Europeia, que vem apresentando uma resistência injustificada a ampliar as negociações e fazer uma oferta mais condizente com o tamanho do mercado do Mercosul", afirmou Lígia.


O negociador-chefe do Brasil, embaixador Ronaldo Costa, afirmou estar otimista em relação ao andamento do acordo. "As negociações têm avançado de uma forma muito positiva e importante ao longo do último ano. Esse encontro promovido pela CNA é uma oportunidade valiosa porque permite aos negociadores um contato direto e franco sobre o real interesse dos distintos setores econômicos". Hoje, apenas 8% das exportações agro mundiais saem do Mercosul, num valor estimado de US$ 116 bilhões de dólares. Por outro lado, a UE é o maior exportador de alimentos do mundo.