• REUTERS

Delação premiada de Silval faz Supremo reabrir inquérito contra ministro Blairo Maggi


O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), abriu inquérito contra o ministro da Agricultura, Blairo Maggi (PR), sob a acusação de liderar um esquema de corrupção e desvio de recursos públicos na época em que foi governador do Mato Grosso.


O pedido de investigação foi requerido pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, com base na megadelação premiada feita por Silval Barbosa, ex-governador do Estado e que foi vice de Blairo Maggi no segundo mandato dele (2007 a 2010).


No pedido de instauração de inquérito, Janot afirmou que havia três núcleos nítidos no esquema. O primeiro era formado por agentes políticos e servidores públicos; o segundo por operadores financeiros; e o terceiro, por empresários responsáveis pelo pagamento de propina aos agentes públicos, com base em recursos do Estado e de irregularidades na concessão de benefícios fiscais.


“Entre os agentes políticos, destaca-se a figura de Blairo Borges Maggi, o qual exercia incontestavelmente a função de liderança mais proeminente da organização criminosa”, disse o procurador-geral da República, no pedido.


A assessoria de imprensa do ministro foi procurada e informou que está preparando uma nota oficial.