• Consultoria

Mercado brasileiro de farinhas em disputa acirrada entre Argentina e Paraguai


De acordo com a Consultoria Trigo & Farinhas, Paraguai e Argentina já disputam o mercado brasileiro de farinhas para a temporada 2017/18. Já é dado como certo que a safra brasileira de trigo para 2017/18 será muito menor do que a anterior, não apenas em volume total (baixa 1,6 milhão de toneladas), mas também em qualidade.


“Embora seja cedo para precisar números, é sabido que nem tudo o que for colhido servirá para panificação, ou sequer para moagem. Assim, vários moinhos já estão fazendo cálculos e se preparando para colocar as várias opções para o próximo ano: querem ter uma ideia dos prováveis preços do trigo e se vale mais a pena comprar o grão ou comprar direto a farinha”, analisa a T&F.


No que se refere ao grão, alguns moinhos estão esperando preços bem baixos para setembro e outubro. Em Ponta Grossa, por exemplo, na semana passada o preço CIF era de R$ 720/t, mas nesta semana houve ofertas de vendedores a R$ 660/t, mas alguns compradores esperam pagar apenas R$ 580,00/t dentro de algumas semanas. Isto significa que o equivalente ao Rio Grande do Sul voltaria para algo ao redor de R$ 500/t.


O fiel da balança, porém, será o trigo argentino: com 12,0% de proteína importado da Argentina para dezembro está cotado hoje a US$ 194/t FOB, embora se saiba que há uma negociação nisto. Somando US$ 15,00, mais US$ 11,00 de descarga, mais US$ 10 de frete de Paranaguá a Ponta Grossa, se chegaria a US$ 230,00/t, sem contar o lucro das Tradings, se for importação direta. Com um dólar estimado em R$ 3,20 para dezembro, se chegaria ao preço de R$ 736/t CIF Ponta Grossa, para as importações de outubro em diante.


As importações brasileiras de trigo argentino na temporada agosto 2016 a julho 2017 foram de exatas 4.584.203,89 toneladas. Segundo a Consultoria, estima-se que o Brasil aumente suas compras desta origem em aproximadamente 1,0 milhão de toneladas a mais do que comprou na temporada anterior (talvez parte em forma de farinhas).


“A pergunta é: os preços do trigo argentino permanecerão neste nível ou tenderão a subir? Com a quebra da safra sul americana e o consequente aumento da demanda na América do Sul (porque se supõe que o Paraguai também comprará trigo argentino) alguns analistas acreditam que o preço do trigo argentino possa se elevar um pouco", questiona o analista sênior da T&F, Luiz Carlos Pacheco.


"Se isto realmente acontecer, os preços do trigo brasileiro tenderão a se manter nos níveis atuais (depois de passada a pressão da colheita em setembro no PR e novembro no RS), que já são 20% maiores do que na mesma época do ano passado. Os vendedores paraguaios, porém, já se adiantaram e elevaram seus preços internos FOB para US$ 240/t, contra R$ 190/t há um mês, algo que acreditamos que não se sustente, diante da oferta argentina, mesmo junto aos moinhos do Oeste do Paraná”, conclui.